Enfermagem

Loading...

domingo, 29 de maio de 2011

Injeção por via endovenosa(EV) ou intravenosa(IV)

A injeção endovenosa consiste na introdução da droga diretamente na corrente sangüínea. Seu uso permite a administração de grande volume de líquidos e ação imediata do medicamento. Inicia-se pela colocação de uma tira elástica (garrote) acima do local escolhido(aproximadamente 5 a 10 cm), de modo a impedir o retorno venoso sem interromper o fluxo arterial e realiza-se a anti-sepsia.
Examinar cuidadosamente as veias centrais ou laterais do espaço antecubital; as veias boas podem ser sentidas mais facilmente do que vistas.
A medicação poderá ser aplicada em qualquer veia periférica. Em geral, são utilizadas as veias superficiais do espaço antecubital, as do antebraço, dorso da mão e pé ou em qualquer outro local acessível.

Posição do paciente:

  • Decúbito dorsal com o braço estendido e a mão fechada voltada para cima.
  • Sentada com o braço estendido apoiado em um suporte especial(braçadeira) ou sobre uma mesa, com a face ventral para cima e a mão fechada.


Observações:

  • A utilização de luvas é obrigatória ao realizar punção venosa devido ao risco de extravasamento de sangue.
  • A medicação deve ser cristalina, não oleosa e não conter flocos em suspensão.
  • Retirar o ar da seringa.
  • Aplicar lentamente observando as reações do paciente.
  • Verificar se a agulha permanece no interior da veia durante todo o procedimento, puxando o êmbolo(retorna sangue);
  • Retirar a agulha na presença de hematoma e dor. A nova punção deverá ser em outro local, de preferência em outro membro.
  • Se o paciente possui veias calibrosas distendidas e facilmente visíveis, executar a punção sem colocar o garrote, para minimizar os riscos de formação de hematomas.
  • Em caso de hemofobia, pedir ao paciente que desvie o olhar da seringa.
  • Esclerose: irritação crônica do endotélio por injeções contínuas na mesma veia.


TÉCNICA DE APLICAÇÃO:

  • Preparar o material necessário;
  • Rever a prescrição médica;
  • Lavar e fazer anti-sepsia das mãos;
  • Preparar a medicação e aplicação da droga observando os princípios de assepsia;
  • Garrotear acima do local escolhido,solicitando que o paciente feche a mão e mantenha o braço em hiperextensão e imóvel;
  • Pedir ao paciente para abrir e fechar a mão diversas vezes,com o braço voltado para baixo,que auxiliará na dilatação das veias;
  • Calçar luvas;
  • Realizar anti-sepsia do local e do dedo com o qual fará a palpação da veia,com algodão e álcool 70%,no sentido do retorno venoso,trocando o algodão quantas vezes for necessário,até sair limpo;
  • Retirar o ar da seringa;
  • Esticar a pele com o polegar da mão não dominante,logo abaixo do local da punção,para manter a veia estável;
  • Introduzir a agulha com a outra mão(bisel para cima).Após o sangue fluir adequadamente na seringa,pedir ao paciente que abra a mão;
  • A confirmação de que a agulha ganhou a luz do vaso se faz pela aspiração do êmbolo(presença de sangue na seringa);
  • Retirar o garrote.Manter o braço garroteado no caso de coleta de sangue,mas remover antes de retirar a agulha;
  • Injetar lentamente a medicação.Retirar a agulha e comprimir o local da punção com algodão por cerca de 2 a 3 minutos,mantendo o braço estendido e elevado.Essa providência facilitará a hemostasia e evitará a formação de equimose;
  • Desprezar o algodão,seringa e agulha em recipiente apropriado;
  • Retirar as luvas e descarta-las diretamente no saco plástico de lixo hospitalar;
  • Após o procedimento,lavar as mãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário