Enfermagem

Loading...

domingo, 29 de maio de 2011

Assistência de Enfermagem na Coleta de Sangue do Doador e na Hemotransfusão

Coleta de sangue de doadores

O ato de coleta de sangue do doador obedece a critérios importantes para garantir a qualidade do sangue doado e a manutenção do estado de saúde do doador

Triagem hematológica:

  • Verifica - se o peso corporal, que deve ser superior a 50 kg.
  • Explicar ao cliente o procedimento a ser realizado. 
  • Colher sangue capilar através da punção da polpa digital dos dedos anular ou médio, verificar a dosagem de hemoglobina e hematócrito.


Sala de coleta:
  • O ambiente da sala de coleta deve ser tranqüilo, agradável e limpo.
  • Poltrona ou leito.
  • Anexo a sala de coleta deve existir uma sala de recuperação equipada com material de atendimento a assistência ventilatória, medicação de urgência e oxigênio.

Para se iniciar o processo de coleta de sangue do doador, deve -se rotular cada bolsa de sangue a ser colhida, de modo que sua identificação seja clara e única.
O sangue deve ser coletado com técnica asséptica, utilizando-se sistema fechado, estéril e não deve ser realizada mais de uma punção em um mesmo doador. As bolsas utilizadas para coleta poderão ser simples, duplas, triplas e quádruplas. A escolha do anticoagulante irá depender das necessidades e realidade de cada serviço. Determinará o tempo de conservação e armazenamento do sangue coletado.

Orientações ao doador de sangue:

  • Após a doação, observar o doador por 5 minutos.
  • Oferecer um lanche.
  • Não utilizar bebidas alcoólicas por 6 horas.
  • Não fumar durante a primeira hora.
  • Evitar exercícios físicos principalmente no braço da punção.
  • Ante qualquer anormalidade comunicar a instituição.
  • Informá-lo sobre a conduta para receber os resultados do exame.


Reações adversas no doador de sangue:

A maior parte das reações adversas é resultado de influências psicológicas como nervosismo, medo e visualização do sangue. Manifesta-se com palidez, sudorese, náusea, vômito e crise convulsiva. É imprescindível a avaliação médica do doador, para assegurar um atendimento multidisciplinar adequado e completo. As reações e o atendimento prestado, devem ser registrado na folha de atendimento, anexada a ficha de doação.

Assistência de enfermagem na hemotransfusão:

Conceito: É a administração de sangue e dos hemoderivados.

Tipos:
• Sangue total: É constituído de plasma, que é a parte líquida do sangue, e os seus elementos figurados que são as hemácias, leucócitos e plaquetas. É indicado em caso onde existem a restrição de hemocomponentes. Ex: Hemorragia grave.

• Concentrado de hemácias: São separados a partir de uma unidade de sangue total, através da remoção por centrifugação de 200 a 250 ml de plasma. Repõe a capacidade de transportar oxigênio, o volume sangüíneo é normal. É administrado em anemia.

• Concentrado de plaquetas: São obtidas a partir de uma unidade de sangue total, através da centrifugação de plasma rico em plaquetas, não devendo conter hemácias. É indicado em caso de disfunção plaquetária, em doenças congênitas, doenças neoplásicas, leucemia, quimioterapia e radioterapia.

• Plasma fresco congelado:
É obtido a partir de uma bolsa de sangue total por centrifugação e congelamento a 18ºC, ate 8 horas após a coleta. Contém todos os fatores plasmáticos da coagulação. Deve ser respeitada a compatibilidade ABO. Indicado em casos de deficiências de fatores de coagulação.

Observações gerais importantes
  •  É obrigatório o uso do equipo de transfusão, com filtro, estéril, descartável e de uso único. Deve ser trocado se apresentar sinais de saturação e deve ser utilizado no máximo por 4 horas;
  • Para guarda de sangue e hemoderivados, as geladeiras e frezers devem conter termômetro interno e mapa de temperatura para o controle a cada 4 horas, afixado nos mesmos.
  • Ao manipulá-los é imprescindível o uso do EPI.
  • O aquecimento do sangue quando indicado, deverá ser realizado em equipamento próprio.
  • É proibido adicionar qualquer produto na bolsa de sangue e hemoderivados, ou a infusão concominante pela mesma linha que a do sangue.

Procedimentos para a administração de sangue e hemoderivados

  • Coleta de sangue para exames pré transfusionais.
  • Os pedidos de sangue e hemoderivados deverão ser solicitados em ficha de requisição padronizada pelo serviço de hemoterapia e devidamente preenchida.
  • Conferir a prescrição médica: identificação do cliente, descrição do produto e volume, assinatura, nome legível e CRM. Não é permitido rasuras, abreviações ou uso de corretivo.
O produto deve ser rotulado com:

  • Nome completo, número do registro e localização do receptor.
  • Data e assinatura do responsável pela realização dos testes transfusionais e sua liberação.
  • Grupo ABO e RH do receptor.
Como Proceder

  • Manter o cliente em posição de Fowler.
  • Aferir sinais vitais, ante qualquer anormalidade comunicar o médico.
  • Avaliação prévia do acesso venoso.
  • Montar o sistema transfusional, dentro dos padrões de assepsia e anti-sepsia.
  • Após o início da transfusão, permanecer com o cliente nos primeiros 10 a 15 minutos.
  • O tempo de transfusão é de no máximo 4 horas, estar atento às condições clínicas e circulatórias do cliente e ao máximo de aproveitamento dos componentes.

Reações adversas da transfusão:

Reações imediatas:

Reações hemolíticas(imune): Resultam de erros na identificação da amostra colhida, da identificação da bolsa do hemocomponente ou na identificação do cliente. Ex: sangue errado.
Sinais e sintomas: hipertermia,,mal estar, agitação, sensação de calor, queimação na veia puncionada e rosto, dispnéia, náuseas, cefaléia, sudorese, pulso filiforme, hipotensão, hemoglobinúria e sangramento profundo.

Reações febris: É atribuída a presença de anticorpos dirigidos contra leucócitos ou plaquetas.
Sinais e sintomas: tremores, calafrio, cefaléia, náuseas, vômitos, febre, hipertensão arterial, alterações pulmonares e cardíacas.

Reações alérgicas e anafiláticas:É causada por anticorpos dirigidos contra proteínas plasmáticas.
Sinais e sintomas: quadro de urticariforme(máculas, pápulas, eritema e prurido), tosse, cefaléia, náuseas, hipotensão e edema de glote.

• Hipervolemia: Ocorre quando é administrado um volume grande de sangue, e o mesmo é infundido rapidamente, ou em cliente com cardiopatia.
Sinais e sintomas: hipertensão arterial sistólica,precordialgia, arritmia, dispnéia, tosse, cianose e EAP.

• Contaminação bacteriana: São causadas por microorganismos capazes de crescer em temperaturas entre 1 a 6ºC. Sinais e sintomas: hipertemia, dor abdominal e nas extremidades, vômito, diarréia, hipotensão, hemoglobinúria e choque.

Assistência de enfermagem nas reações transfusionais imediata:

  • interromper imediatamente a transfusão.
  • Manter o acesso venoso.
  • Solicitar a presença do médico assistente;
  • Examinar as etiquetas, rótulos e registros, conferindo novamente com os dados do cliente.
  • Encaminhar ao serviço de hemoterapia, a bolsa contendo o sangue, equipo e etiqueta de identificação da bolsa, tendo o cuidado para não promover a contaminação do produto;
  • Registrar todos os sinais e sintomas de forma clara e objetiva, bem como a assistência prestada.


Reações tardias:

• Doenças infecciosas: São doenças passíveis de transmissão por transfusão de sangue e hemoderivados, a hepatite B e C, sífilis, doenças de Chagas, AIDS, malária, citomegalovírus e herpesvírus.
Com o aperfeiçoamento de novos testes sorológicos e a triagem clínica dos doadores melhor conduzida, a incidência de transmissão de doenças por transfusão tende a reduzir.

• Hemossiderose: Ocorre em casos de transfusões crônicas de concentrado de hemácias, leva ao depósito de ferro nos tecidos(fígado, coração e glândulas endócrinas).

Considerações gerais sobre hemoterapia

  • O enfermeiro torna-se responsável pela hemotransfusão
  • Aferir e anotar os sinais vitais antes de iniciar a infusão.
  • Certifique-se de que é o paciente certo, o sangue certo, a dosagem e a hora correta.Conferir o grupo sangüíneo do paciente.
  • Nunca administrar medicamentos ou soroterapia(exceto soro fisiológico) na via puncionada para hemotransfusão, pois causam destruição das células vermelhas do sangue.
  • Selecionar scalp com calibre superior à 18.
  • Período máximo para infusão: 4 horas.
  • O equipo tem um filtro para reter sangue coagulado e resíduos. *Uso do equipo em ‘Y’.
  • Retirar o sangue da geladeira 30 minutos antes
  • Os eritrócitos deterioram após 2 horas em temperatura ambiente.
  • Observar rigorosamente o cliente, principalmente nos primeiros 15 minutos,com gotejamento de 5 gts/min,aumentando à cada 15 minutos,até 30 gts/min.
  • Em caso de sangue total:inverter suavemente a bolsa para misturar as células.
  • Pode-se usar o esfignomanômetro para facilitar a infusão:não exceder 300mgHg - hemólise e ruptura da bolsa.
  • Suspender imediatamente a hemotransfusão em caso de reações adversas.
  • Podem ocorrer complicações tardias, hepatite, aids(janela imunológica).
  • Relate data, hora, quantidade de produto, reação adversa, sinais vitais e observacões realizadas.
  • O paciente Testemunha de Jeová deve atestar por escrito

Nenhum comentário:

Postar um comentário